Seguidores

quarta-feira, 22 de junho de 2011

Acasalamento

Antes de pensar em acasalar seu animal, você deve analisar fatores como: tempo disponível para cuidar da ninhada, custos com assistência veterinária e exames, e o destino dos filhotes. Este último deve ter a sua especial atenção, pois nem sempre é possível conseguir bons lares para os filhotes, mesmo que sejam de raça pura.

Antes do acasalamento, siga os seguintes passos:

Procure um macho da mesma raça e que tenha um tamanho igual ou não muito maior que a fêmea;
Leve a fêmea para uma avaliação veterinária antes do acasalamento;
Coloque em dia as vacinas e faça um exame de fezes um mês antes do cio;
Analise se é a época ideal para a cadela. Não acasale fêmeas muito jovens, o aconselhável é a partir do 3o. cio;
Fêmeas obesas não devem acasalar, aguarde o próximo cio quando o animal deve estar num peso compatível com sua raça e tamanho.

As cadelas entram no cio em torno de 6 a 10 meses de idade. Algumas apenas com 1 ano. O cio da fêmea tem duração aproximada de 15 dias. Ela aceitará o macho a partir do 7o. ou 8o. dia do cio. Há grande chance de sucesso se a fertilização ocorrer por volta do 11o. dia do cio, momento em que 50% dos óvulos são liberados pelos ovários. O acasalamento pode ser repetido no dia seguinte.

Algumas fêmeas são arredias e não aceitam certos machos; outras, não aceitam nenhum macho. É interessante proporcionar um contato entre os cães antes do início do cio, para observar se há rejeição entre eles. Cães criados fora do convívio com animais da mesma espécie podem ficar assustados ou atacar o parceiro. Da mesma forma, cães muito mimados não aceitam acasalar e não têm interesse pela fêmea, mesmo que ela esteja no cio. Há fêmeas que escolhem um determinado macho e se recusam a acasalar com outros. Nesses casos, é possível recorrer à inseminação artificial. Uma fêmea muito brava pode atacar e machucar seriamente o macho pretendente. É melhor não arriscar.

Pode acontecer uma situação não tão rara de a cadela acasalar com dois machos durante o mesmo cio. Nesse caso, ela terá filhotes dos dois cães. Aqueles que forem filhos de um macho da mesma raça nascerão puros. Mas se o outro cão com o qual a fêmea cruzou for de raça diferente ou um vira-lata, nascerão também filhotes mestiços, todos na mesma ninhada. Pode ser difícil diferenciar os filhotes puros dos mestiços. O teste de DNA pode esclarecer a dúvida.

A cadela de raça pura que cruzou com um vira-lata e teve filhotes mestiços, poderá ter cãezinhos puros na próxima vez que acasalar. Diferente do que alguns pensam, cruzar com um cão vira-lata não "estraga" a raça da cadela. Isso é apenas uma crença popular, mas sem nenhum fundamento.

Em um cruzamento normal, o momento da ejaculação se dá quando macho e fêmea ficam "de traseiro" um para o outro. Eles irão permanecer assim por alguns minutos (o tempo é variável). O cão possui um osso peniano e a tentativa de separar os animais à força pode causar fratura no osso do pênis. Por isso, não importa o tempo que demore, deixe que os cães se afastem naturalmente.

A fêmea deve ser levada à casa do macho, mas o inverso também pode ser tentado. Evite o estresse dos animais, deixando-os em um local tranquilo, sem muitas pessoas em redor.

Existem casos de dificuldades no acasalamento, assim como infertilidade nas cadelas ou nos machos. São motivos de insucesso na reprodução do animal, o que causa grande frustração para o dono. É preciso analisar e descobrir a causa com a ajuda do veterinário.

Quem não deve acasalar: animais portadores de enfermidades transmissíveis geneticamente como: displasia coxofemoral, ausência de um testículo (criptorquidismo), alergias graves, catarata precoce e epilepsia; animais com problemas cardíacos graves; fêmeas com excesso de peso; cães com doenças sexualmente transmissíveis como Tumor de Sticker e Brucelose.

Nenhum comentário:

Postar um comentário